T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

Analistas veem tom austero do Fed mesmo com pausa nos juros (Investing)

Compartilhe:
Jerome Powell Foto: Getty Images

Após a decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed) desta quarta-feira, 14, de manter a taxa básica de juros dos Estados Unidos na faixa de 5%-5,25%, analistas enxergam um tom mais hawkish mesmo com a pausa, indicando austeridade para o futuro da política monetária.

A decisão foi em linha com 97% dos investidores que estimavam a pausa do ciclo de aperto monetário, conforme a ferramenta Monitor da Taxa de Juros do Federal Reserve do Investing.com.

Em conferência após o anúncio, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, adiantou que o processo para levar a inflação a 2% ainda tem um longo caminho a percorrer. “Vamos fazer o que for necessário para atingir nossos objetivos de estabilidade de preços”, reforçou Powell.

O chairman disse aos jornalistas que elevações nas próximas decisões vão depender de novas informações e implicações da política monetária, conforme apontado no comunicado do Comitê.

Para Powell, a resiliência do mercado de trabalho dos EUA surpreendeu a grande maioria dos analistas, com salários também crescendo com força.

Em referência à coletiva, Gustavo Zuquim, gerente de portfólios do Andbank, destaca que o presidente do Fed afirmou que os aumentos de juros estão tendo impacto, especialmente em habitação e investimento, ainda que leve tempo para que todos os efeitos se manifestem.

Além disso, há expectativa de aumento do desemprego para o ano que vem. “Apesar da redução nas previsões da taxa de desemprego para este ano, o FOMC ainda vê o mercado de trabalho enfraquecendo em resposta aos aumentos do Fed, e muito disso acontecerá em 2024. Foi ressaltada ainda a necessidade de haver crescimento do PIB abaixo do potencial”, explica Zuquim.

Antonio van Moorsel, estrategista-chefe e sócio da Acqua Vero, avalia que o FOMC deixou bastante claro que haverá mais ajustes altistas ao comunicar que o Comitê estaria preparado para ajustar a orientação da política monetária conforme apropriado caso surjam riscos que possam impedir o alcance de suas metas.

O dot-plot, gráfico de pontos com projeções econômicas, indica altas nos juros, com avanço da mediana das projeções dos dirigentes do Federal Reserve. “As declarações de Jerome Powell corroboram esse tom austero do comunicado. Portanto, devemos ter mais altas ao longo dos próximos meses”, acredita Moorsel.

Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos, concorda que a decisão pode ser considerada hawkish, devido às alterações nas projeções econômicas, o que era considerado estratégico para “afastar cenários de cortes precoces”.

“Com isso o Fed faz uma interrupção, momentânea ou não, do ciclo de altas da taxa básica de juros, e o faz da maneira dura, sinalizando por altas adicionais através das projeções, mas sem se comprometer textualmente”, completa a Ativa.

Leandro De Checchi, analista de Investimentos da XP (BVMF:XPBR31), detalha as implicações da decisão para quem opera no Day Trade. “Há bastante volatilidade como costuma ser de praxe nos índices de ações tanto aqui do Brasil quanto lá fora. Mas os índices já tão se recuperando, o dólar já voltou para o patamar anterior à notícia, o índice futuro do Ibovespa também já está voltando para próximo da região. Mas deu um susto para quem estava operando”.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h