T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

CNA pede a governo ações emergenciais de crédito

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) solicitou ao Ministério da Agricultura a implementação de medidas de socorro emergencial para os pecuaristas devido à drástica redução nos preços do leite e do boi. A CNA comunicou essas demandas por meio de um comunicado. Entre as medidas, todas relacionadas ao crédito, a CNA pede a criação de linhas de crédito emergenciais para a agricultura, bem como a prorrogação das operações de financiamento destinadas ao custeio e investimento de pecuaristas afetados pela queda dos preços.

A entidade justifica que essas medidas são cruciais para manter a produção de proteínas animais no campo, com o objetivo de garantir a geração de empregos e divisas no país. Isso evitaria que produtores abandonem a atividade e que haja escassez de alimentos no médio e longo prazo.

O presidente da CNA, João Martins, assinou o documento endereçado ao Ministro da Agricultura, Carlos Favaro. Martins argumenta que as proteínas animais sofreram quedas acentuadas no mercado. Por exemplo, houve uma queda de 34,1% no preço do boi gordo em São Paulo em um ano, até setembro. Ele observa que as margens do setor foram corroídas, com uma queda de 41,3% no período, retornando aos níveis de 2020.

Quanto ao leite, a CNA menciona que o setor está sendo afetado por altas importações, que totalizaram 1,42 bilhão de litros de janeiro a agosto deste ano. O valor pago aos produtores de leite diminuiu cerca de 27% nos últimos 12 meses, enquanto os custos diminuíram apenas 7,4% no mesmo período, o que prejudicou os pequenos e médios produtores.

A CNA também solicita ao governo a criação de uma linha de crédito de capital de giro para produtores que optarem por não comercializar seus produtos em um cenário de preços baixos. Além disso, pede um aumento no prazo para o reembolso de crédito destinado à retenção de matrizes bovinas. Outra demanda é a prorrogação das operações de crédito contratadas entre 1º de janeiro de 2021 e 1º de setembro de 2023 para produtores que comprovarem dificuldades temporárias de reembolso devido à queda de preços ou dificuldades na comercialização.

No contexto de crédito, a CNA também sugere ao governo a concessão de novos prazos para o reembolso de créditos destinados ao custeio, incluindo os recursos dos fundos constitucionais, contratados entre 1º de setembro de 2023 e 1º de janeiro de 2025, além da autorização para renegociar operações de crédito rural contratadas e vencidas entre 1º de janeiro de 2021 e 1º de setembro de 2023.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h