T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

Dólar sobe na sessão e vai a R$ 4,82 com realização de lucros no Brasil e influência do exterior; queda é de 1,2% na semana (Infomoney)

Compartilhe:
Foto: GettyImages

Após ter caído em nove das dez sessões anteriores, o dólar comercial fechou a sexta-feira em alta ante o real no Brasil, com investidores realizando os lucros mais recentes e com as cotações seguindo a tendência mais ampla do exterior, onde a moeda norte-americana também subia ante várias outras divisas.

A divisa americana fechou a sessão cotada a R$ 4,819 na compra e R$ 4,820, com avanço de 0,39%. No acumulado da semana, porém, o dólar cedeu 1,18%. Cabe ressaltar que, na véspera, a divisa havia renovado o seu menor patamar em um ano.

Após ter acumulado queda de 5,32% nas dez sessões anteriores, o dólar se manteve em alta ante o real durante toda a sexta-feira, com parte dos investidores realizando os lucros mais recentes e recompondo posições.

Profissionais ouvidos pela Reuters argumentaram que, após os recuos mais recentes, era natural o dólar voltar a subir, ainda que a tendência mais geral seja de queda.

Além disso, há certa resistência técnica para a moeda norte-americana quando ela se aproxima dos R$ 4,80.

“Um dólar abaixo de R$ 4,80 não seria um valor justo, conforme o nosso modelo. Assim, com a cotação caindo abaixo de R$ 4,81 ou R$ 4,82, a moeda começa a ficar fora do fundamento”, comentou o economista Rafael Pacheco, da Guide Investimentos.

Pacheco lembra que, com a perspectiva de queda da taxa básica Selic no Brasil e de aumento dos juros nos EUA, o diferencial de juros vai diminuir, o que tornará o país menos atrativo aos investidores estrangeiros. Em algum momento, segundo ele, isso vai impactar as cotações.

Além de questões técnicas, o dólar foi impactado nesta sexta-feira no Brasil pelo avanço da divisa também no exterior.

“Nós vimos um dólar um pouco mais forte no Brasil, reflexo de um dólar mais forte no exterior, com o DXI (índice do dólar ante uma cesta de moedas) ganhando força e a moeda ganhando força também ante divisas de outros emergentes”, comentou Felipe Izac, sócio da Nexgen Capital.

Izac lembrou que, em sua decisão de política monetária da última quarta-feira, o Federal Reserve sinalizou que poderá elevar os juros nos EUA mais duas vezes até o fim de 2023. E juros mais altos, em tese, significam um dólar mais alto.

No exterior, o dólar seguia registrando ganhos ante várias divisas no fim da tarde.

Às 17:18 (de Brasília), o índice do dólar –que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas– subia 0,17%, a 102,310.

No Brasil, pela manhã, o Banco Central vendeu todos os 16.000 contratos de swap cambial tradicional ofertados na rolagem dos vencimentos de agosto.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h