T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

Ibovespa recua apesar de BC indicar chance de corte da Selic em agosto

Compartilhe:
B3 Foto: Germano Lüders/Exame

(Reuters) – O Ibovespa fechou em queda nesta terça-feira, em mais uma sessão de correção na bolsa paulista, mesmo após o Banco Central sinalizar claramente a possibilidade de começar o ciclo de flexibilização monetária em agosto.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,61%, a 117.522,87 pontos. Na máxima, em uma primeira reação à ata do Copom, chegou a 119.211,58 pontos. O volume financeiro somou 25,3 bilhões de reais.

Para o analista Alison Correia, da casa de análise Top Gain, o mercado local experimentou mais uma sessão de ajuste, após semanas de altas na expectativa de uma possível sinalização do BC sobre corte da Selic, o que acabou acontecendo nesta sessão.

A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária mostrou que a maioria dos membros do Copom vê chance de iniciar um afrouxamento monetário “parcimonioso” no próximo encontro a depender da continuação do processo desinflacionário em curso.

O documento, divulgado nesta terça-feira, refere-se à reunião da semana passada, quando o BC manteve a Selic em 13,75% ao ano e atrelou decisões futuras a dados econômicos.

Economistas do Itaú Unibanco revisaram suas expectativas e agora esperam que o Copom comece reduzir a taxa em agosto, com um corte de 0,25 ponto percentual. Antes, estimavam esse movimento apenas em setembro.

“Apesar das ressalvas mais duras, considerando que a maioria prevalece e a mensagem explícita…mudamos nosso cenário para o restante do ano”, afirmou a equipe chefiada pelo ex-BC Mario Mesquita em relatório enviado a clientes.

O Itaú agora espera quatro cortes, sendo dois cortes de 0,25 ponto seguidos por duas reduções de 0,50 ponto, levando a Selic para 12,25% no final de 2023. Antes, previa três cortes a partir de setembro, com a Selic encerrando o ano a 12,5%.

Na visão de Correia, da Top Gain, a sinalização do BC é uma notícia positiva para a bolsa, “sem sombra de dúvida”, mas que vem após uma sequência de ganhos e com várias instituições já tendo se posicionado antecipadamente para tal cenário.

No mercado, a expectativa majoritária já era de um corte de 0,25 ponto em agosto, conforme as duas últimas pesquisas Focus.

Alguns profissionais do mercado também citaram como argumento para a correção na bolsa a decisão do BC de elevar a estimativa de taxa de juros real neutra de 4,0% para 4,5%, bem como a visão de que o ciclo de corte não deve ser longo.

Para Alan Dias Pimentel, especialista da Blue3 Investimentos, o fato de o BC mostrar que ainda não está confortável em reduzir os juros ajudou no movimento de realização de lucros.

Até a véspera, o Ibovespa acumulava em junho alta ao redor de 9%. Da mínima intradia do ano apurada em março, quando trabalhou abaixo dos 97 mil pontos, o ganho era de cerca de 22%.

Correia chamou atenção para o fato de o semestre fechar na sexta-feira, o que faz com que muitos investidores e gestores embolsem parte dos ganhos recentes.

No exterior, Wall Street teve uma sessão positiva, com dados econômicos otimistas dos Estados Unidos acalmando preocupações sobre uma recessão iminente desencadeada pelos aumentos agressivos da taxa de juros do Federal Reserve.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h