T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

Inundações na China atingem plantios de arroz e milho e levantam temor com inflação de alimentos

Compartilhe:

(INVESTING) – Inundações prejudicaram as safras de milho e arroz no principal cinturão produtor de grãos do norte da China, disseram traders e analistas, com mais chuvas previstas à medida que outro tufão se aproxima do país, ameaçando aumentar as pressões globais de inflação de alimentos.

O impacto nas safras de cereais da China – cuja extensão total ainda não está clara – ocorre quando os consumidores em várias regiões do mundo enfrentam restrições no fornecimento de alimentos em meio à proibição da Índia às exportações de arroz no mês passado e interrupções nos embarques de grãos do Mar Negro causadas pela guerra na Ucrânia.

“A área inundada no norte sofrerá algumas perdas de rendimento”, disse um trader de Cingapura da empresa chinesa de comércio de grãos. “Teremos uma imagem clara da extensão dos danos depois que as águas da enchente baixarem.”

O norte da China, que ainda enfrentan rios cheios e inundações causadas pelo tufão Doksuri há duas semanas, pode sofrer mais danos às plantações com a tempestade tropical Khanun.

Na quinta-feira, a província de Hebei, no norte da China, elevou sua resposta de emergência ao nível mais alto após as inundações recordes da semana passada, em preparação para as chuvas potencialmente prejudiciais da nova tempestade.

As estimativas iniciais mostram que 4 milhões a 5 milhões de toneladas métricas de milho, ou cerca de 2% da produção do país, foram afetadas pelas enchentes, disseram duas fontes comerciais.

“Não podemos confirmar quanto disso será totalmente perdido ou prejudicado”, disse um segundo trader de Cingapura. O preço do milho na bolsa de commodities de Dalian caiu 1,4%, para 2.759 iuans (381,34 dólares) por tonelada.

O Ministério da Agricultura da China disse na sexta-feira que as inundações devido ao tufão Doksuri estão afetando algumas áreas baixas de produção de milho no nordeste, mas deixou a estimativa de produção de milho 2023/24 do país inalterada em 282,34 milhões de toneladas.

As inundações também são susceptíveis de reduzir a produção de arroz.

“A inundação realmente afetará a produção de arroz no nordeste e pode reduzir a produção de arroz em 3% a 5% nas áreas afetadas pelas inundações”, disse Ma Wenfeng, analista sênior da Beijing Orient Agribusiness Consultant, à Reuters.

A Fitch Ratings disse na sexta-feira que fortes chuvas na região produtora de grãos da China provavelmente pressionarão os preços globais do arroz. Os preços do arroz já subiram mais de 20% desde que a Índia anunciou a proibição das exportações de arroz branco não-basmati.

As importações de milho da China devem subir para um recorde histórico de 23 milhões de toneladas em 2023/24, de acordo com o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), acima dos 18 milhões de toneladas do ano anterior, o que provavelmente atenuará o impacto de inundação no abastecimento.

No entanto, amplos estoques domésticos de arroz devem impedir que a China compre volumes maiores do mercado internacional, disseram analistas.

É improvável que o declínio da produção de arroz no nordeste da China resulte em importações maiores, já que o país é amplamente autossuficiente, disse Rosa Wang, analista da JC Intelligence, com sede em Xangai.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h