T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

Lira, corregedoria e Conselho de Ética silenciam sobre deputado comprar carro com verba pública

Compartilhe:

(ESTADÃO) – O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), silenciou sobre o desvio de dinheiro público por um correligionário e colega de Casa. O Estadão revelou nesta sexta-feira, 4, que o deputado federal Vicentinho Júnior (PP-TO) usou verba da cota parlamentar para comprar um carro avaliado em R$ 100 mil e dar de presente para a irmã. Procurado por meio de sua assessoria, Lira não comentou o caso.

O corregedor da Câmara, Domingos Neto (PSD-CE), o presidente da Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa, Leur Lomanto Júnior (União-BA), e o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), partido do deputado, também optaram por não comentar o assunto. “A Corregedoria da Câmara informa que não foi acionada sobre o caso e não tem prerrogativa para agir de ofício.”

Vicentinho Júnior é atual presidente do PP de Tocantins e está no terceiro mandato como deputado federal.

Como mostrou o Estadão, ele usou a cota parlamentar para, em um primeiro momento, alugar um Toyota Corolla branco. Pagou 21 parcelas de R$ 6 mil, entre janeiro de 2018 e setembro de 2019, e, depois desse período, adquiriu o veículo, o que é proibido por regras internas da Câmara. O carro foi repassado diretamente para o nome da irmã do parlamentar, a médica Mariana Alice.

O Ministério Público Federal (MPF) já sabe que dez das mensalidades foram bancadas com dinheiro da cota parlamentar, o que dá R$ 60 mil. Os investigadores suspeitam que as outras 11 prestações também foram bancadas com dinheiro público.

Vicentinho Júnior pode responder por improbidade administrativa. O 10º artigo do Ato da Mesa 43/2009 da Câmara diz que: “Os contratos de locação de bens móveis não poderão conter cláusulas que admitam a possibilidade de aquisição do bem mediante utilização da cota [parlamentar]”. Um inquérito civil na Procuradoria da República do Distrito Federal está em andamento.

Por meio de sua assessoria, o deputado disse que sempre se pautou pela transparência. “Se houve equívoco em qualquer interpretação, será corrigida”, alegou.

Após a publicação da reportagem, o deputado publicou um vídeo em suas redes sociais. Ele não explicou o motivo de ter usado dinheiro público para comprar o carro. Mas pediu “confiança” e “tempo” aos seus seguidores.

“Me deem tempo e confiança, para que, respeitando as instituições, respeitando o processo que tem que ser feito da forma correta, eu vá provar mais uma vez a minha inocência, as minhas práticas e a minha verdade. Dessa maneira eu peço tempo para que a paciência o acompanhe e confiança para que a nossa amizade a nossa rotina de mandato continua do jeito que sempre coloquei a serviço e à disposição do Estado de Tocantins”, disse.

 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h