T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

Presidente da Argentina e manifestantes criticam dívida com FMI enquanto economia deteriora

Compartilhe:

BUENOS AIRES (Reuters) – O presidente argentino, Alberto Fernández, e manifestantes em Buenos Aires se opuseram ao Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta quinta-feira, em meio a tensões crescentes com o credor, à medida que o país enfrenta uma inflação de quase 109% e reservas cambiais em declínio.

O produtor de grãos da América do Sul, que possui uma relação tensa com o FMI, concordou com um programa de 57 bilhões de dólares com o órgão em 2018, sob a liderança conservadora do ex-presidente Mauricio Macri, para evitar uma crise econômica. A iniciativa não obteve sucesso e foi substituída por um novo acordo de 44 bilhões de dólares no ano passado.

As tensões aumentaram, no entanto, à medida que uma seca severa afetou as exportações de grãos, principal fonte de dólares da Argentina, levando os dois lados de volta à mesa de negociações para reformular o acordo. Buenos Aires deseja pagamentos mais rápidos e metas econômicas mais flexíveis.

“Mais do que uma dívida, é um crime”, escreveu o presidente Fernández em um tuíte nesta quinta-feira, citando um novo relatório de auditoria do governo concluindo que o acordo original carecia de estudo de impacto necessário e não havia passado pelos canais legislativos adequados.

O FMI preferiu não comentar as novas críticas ao acordo.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h