T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Procura

TSE retoma julgamento de Bolsonaro com voto longo e detalhes de audiências

Compartilhe:
Foto: O Globo

(UOL) – O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) retoma hoje à noite o julgamento que pode tornar o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível por oito anos. Começa com um voto de mais de 400 páginas do ministro Benedito Gonçalves, relator do processo, em sessão que pode se estender até o final da noite.

Sessão deve se alongar

A expectativa é que o voto de Benedito ocupe a maior parte da sessão de julgamento desta terça —ou talvez até toda ela. Está marcada para começar às 19h. Na semana passada, o ministro levou duas horas para concluir a leitura do relatório, uma espécie de resumo do caso.

Benedito deve acelerar o voto, pulando alguns trechos, para garantir que outros ministros se posicionem até o fim da semana.

Ele, contudo, deve explicitar trechos de audiências com pessoas que deram depoimentos no processo.

Por isso ele já encaminhou aos gabinetes dos colegas a íntegra de seu texto para que eles já tomassem conhecimento e ajudasse na preparação dos outros votos. Isso é comum em casos complexos e faz parte de uma estratégia para evitar que outros ministros peçam adiamento para mais análise.

Próxima sessão é na quinta (29). Também se discute convocar uma sessão extraordinária para a quarta (28) ou seguir a discussão na sexta (29), antes do encerramento dos trabalhos do semestre, se for necessário para concluir o processo.

O UOL apurou que, depois do voto de Benedito, a expectativa é que os demais integrantes do TSE façam votos mais curtos, de cerca de trinta minutos de duração.

Após Benedito, o próximo a votar é o ministro Raul Araújo, que no passado proferiu decisões favoráveis a Bolsonaro. Aliados do ex-presidente pressionam o magistrado a pedir vista (mais tempo de análise) e interromper a discussão.

O próprio Bolsonaro afirmou à CNN que “o ideal seria que alguém no início pedisse vista”. A segunda aposta do ex-presidente, Kassio Nunes Marques, é um dos últimos a votar.

Primeiro dia teve sustentações e parecer do MP

O julgamento da ação contra Bolsonaro teve início na quinta-feira (22) com a leitura do relatório e as sustentações orais da defesa do ex-presidente e do PDT, partido que assina a ação no TSE.

O processo acusa Bolsonaro de cometer abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação ao reunir embaixadores, em julho do ano passado, para atacar o sistema eleitoral. O encontro foi divulgado pela TV Brasil.

A ação incluiu também a minuta de teor golpista encontrada na casa de Anderson Torres, ex-ministro da Justiça de Bolsonaro. O documento previa a instauração de um Estado de Defesa —medida flagrantemente inconstitucional.

O advogado e ex-ministro do TSE Tarcísio Vieira de Carvalho Neto, que defende Bolsonaro, afirmou que a reunião com embaixadores foi um evento “franciscano” para discutir o sistema eleitoral. A defesa também pediu a retirada da minuta golpista do processo.

“Não está em julgamento, como quer se fazer crer, o bolsonarismo. Está em julgamento a reunião dos embaixadores, havida muito antes do início do período eleitoral e das eleições. Não se está a arbitrar uma disputa sangrenta, imaginária, entre a civilização e a barbárie.”

O advogado Walber Agra, que falou pelo PDT, apontou que a minuta era de responsabilidade de Bolsonaro e que o documento deveria ser considerado no processo. “A narrativa é a mesma”, disse o advogado. “Um dos piores documentos de toda a civilização constitucional no Brasil.”

“A minuta, não sabemos a indicação pessoal de quem o fez, mas sabemos a responsabilidade. É do Palácio do Planalto. Impossível negar a claridade dessa luz.”

A primeira sessão foi concluída com a leitura do parecer do Ministério Público Eleitoral. O vice-procurador-geral eleitoral, Paulo Gonet Branco, defendeu a condenação e inelegibilidade de Bolsonaro, mas poupou o ex-candidato a vice, general Walter Braga Netto.

Para o MP, não há provas do envolvimento do militar nas acusações e, por isso, a pena deveria ser restrita somente a Bolsonaro.

Entenda o trâmite do julgamento

A primeira fase, da leitura do relatório e do parecer, foi concluída na semana passada.

Estamos hoje na segunda etapa: a leitura do voto do relator, Benedito Gonçalves. O ministro também pode abordar questões preliminares, que envolvem o andamento do processo, caso o tema tenha sido abordado por uma das partes. A defesa de Bolsonaro, por exemplo, tenta reverter a inclusão da minuta golpista.

Depois de Benedito, a ordem de votação é a seguinte: Raul Araújo, Floriano de Azevedo Marques, André Ramos Tavares, Cármen Lúcia, Nunes Marques e, por último, o ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE.

Qualquer ministro pode pedir vista e suspender o julgamento. Se isso ocorrer, o caso deve ser devolvido em até 60 dias para retomada da discussão.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h