T&D – Tempo e Dinheiro

Procura

Entrar

Ucrânia relata novo ataque a silos de grãos, mas navio de carga parte do porto de Odessa

(INVESTING) – A Ucrânia disse que a Rússia atacou seu armazenamento de grãos, mas um navio com contêineres deixou o porto de Odessa, no Mar Negro, nesta quarta-feira, apesar da ameaça de Moscou de alvejar o transporte marítimo depois que abandonou um acordo no mês passado que permitia à Ucrânia exportar grãos.

Na capital russa, cinco fontes disseram que as autoridades estão considerando reimpor rígidos controles de capital, já que o rublo mostra as tensões da invasão da Rússia à sua vizinha, que trouxe enormes gastos militares e amplas sanções ocidentais.

A partida de Odessa do Joseph Schulte, de bandeira de Hong Kong, preso no porto desde o dia anterior da invasão russa à Ucrânia em 24 de fevereiro do ano passado, ocorreu após o último de uma série de ataques russos à infraestrutura de exportação de grãos do país.

Ataques aéreos durante a noite danificaram silos de grãos e depósitos em Reni, no rio Danúbio, uma rota vital para a exportação de alimentos durante a guerra, disseram autoridades ucranianas, postando fotos de instalações de armazenamento destruídas e pilhas de grãos e girassóis espalhados.

Não houve comentários imediatos de Moscou. Uma fonte do setor disse que o porto continua operando. Futuros do trigo de referência em Chicago subiram cerca de 1% após a divulgação da notícia na manhã de quarta-feira, somando-se a um ligeiro ganho anterior ao se recuperarem de uma mínima de dois meses na terça-feira.

A Rússia tem feito ataques aéreos regulares a portos ucranianos e silos de grãos desde que saiu do acordo apoiado pela ONU em meados de julho e ameaçou tratar qualquer navio que deixe a Ucrânia como alvo militar em potencial. No domingo, disparou tiros de advertência contra um navio que viajava para a Ucrânia.

Apesar das ameaças, a Ucrânia anunciou na semana passada um “corredor humanitário” no Mar Negro para liberar navios cargueiros que ficaram presos em seus portos por um bloqueio russo de fato, prometendo total transparência para deixar claro que não servem a propósitos militares.

“Um primeiro navio usou o corredor temporário para navios mercantes de/para os portos de Odessa”, disse o vice-primeiro-ministro Oleksandr Kubrakov no Facebook (NASDAQ:META).

A Bernhard Schulte Shipmanagement (BSM), proprietária do navio em conjunto com um banco chinês, confirmou que o navio estava a caminho de Istambul.

Kubrakov disse que o navio estava transportando mais de 30.000 toneladas de carga em 2.114 contêineres.

Moscou não indicou se respeitaria o corredor marítimo, e fontes de transporte e seguros expressaram preocupação com a segurança.

A Ucrânia é um grande exportador de grãos e oleaginosas e as Nações Unidas dizem que seus suprimentos são vitais para os países em desenvolvimento, onde a fome é uma preocupação crescente. Nem Kubrakov nem a companhia de navegação especificaram a carga a bordo do Joseph Schulte, mas os grãos raramente são transportados em contêineres.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site protegido contra cópia de conteúdo

Assine e descubra as notícias em primeira mão

O Tempo & Dinheiro tem o melhor custo benefício para você

AO VIVO: Acompanhe as principais notícias do dia na Record News

PRÓS E CONTRAS - 03/05/2023

JORNAL DA MANHÃ - 18/05/2023

VTV SBT - Ao vivo 24h